quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

os cavaleiros do zòdiaco 2ª parte


ñ consegui postar nada ontem, ñ tive muito tempo, resolvi relatar hoje a biografia da serie "cavaleiros do zodíaco" porque nunca vi ele inteiro e é um anime muito bom (e eu deveria ter escrito isso na parte 1) ....espero que gostem!

Outras Publicações

  • Hipermito: Uma publicação que não é classificada como história lateral, lançado em 1988 com o objetivo de esclarecer dúvidas deixadas pelo anime e pelo mangá. Nele, são explicadas as origens dos deuses, dos cavaleiros e das guerras santas nos tempos mitológicos, bem como é explicada a confluência de diferentes mitologias no enredo da série (daí o nome da publicação, Hipermito).
  • Do Cvidanija - Time of Promise: Lançado junto com um cd de músicas do anime, "Do Cvidanija - Time of Promise" (Até Breve - Tempo de Promessa) é um áudio com um diálogo entre os Cavaleiros de Bronze após a Batalha com Hades, lembrando sua luta. No final, todos sentem um novo inimigo e Atena os adverte que terão que ficar alerta novamente, pois já não conta com os Cavaleiros de Ouro[5].
  • Albafika - Elo Vermelho: Assim como "Do Cvidanija", a história da origem do Cavaleiro de Ouro Albafika de Peixes (da saga de Lost Canvas) e de como seu sangue ficou venenoso é contada em um áudio, lançado em 2010 como extra para quem adquiriu os 6 primeiros OVAs do anime Lost Canvas[6].

Os Cavaleiros de Atena

Quando a primeira guerra santa começou, muitos homens que lutavam por Atena morreram até que sobraram apenas garotos para lutar. Como odiava as armas, Atena os vestiu com armaduras feitas com Oricalco, o pó de estrelas, e as banhou com a "Vontade Divina". Segundo o mito de Cavaleiros do Zodiáco, todo ser humano é capaz de despertar e elevar seu Cosmo, desde que passe pelo treinamento necessário.
Os Cavaleiros de Atena são hierarquizados de acordo com o metal que compõe sua armadura e sua constelação guia, e esta classificação servem também para dividí-los quanto ao nivel de seu poder, isto é, a capacidade de elevarem seus cosmos. Eles são dividas em Bronze, Prata e Ouro; tais armaduras são entregues a guerreiros, que possuem domínio do cosmo, equivalente ao nível da armadura. Enquanto as Bronze são vestidas por Cavaleiros mais fracos, as de Ouro pertencem àqueles que dominam completamente o Sétimo Sentido, que seria a percepção cósmica de canalizar e dominar plenamente a energia que permeia toda a matéria (chamada cosmo-energia).
Na história original, existem doze armaduras de ouro, vinte e quatro de prata, quarenta e oito de bronze e quatro armaduras especiais que não possuem categoria. No Episódio G, é dito que existem cinquenta e duas armaduras de bronze, não existindo, portanto, nenhuma armadura especial.

Produção e recepção

Quando Masami Kurumada estava no processo de criação do mangá, o nome do cavaleiro de pégaso seria Rin, e o título "Ginga no Rin" (Rin da Galáxia). Entretanto, depois Kurumada mudou o nome do personagem para Seiya, por julgá-lo mais adequado, isto porque em kanji, Seiya significa "flecha estelar" (uma referência à constelação de sagitário, signo de Seiya e do próprio Kurumada). Finalmente, o título foi mudado para Saint Seiya porque os defensores de Atena seriam chamados de "santos cavaleiros".[7]
Seiya foi inspirado no personagem Takane Ryuuji, protagonista do mangá Ring ni Kakero, também de autoria de Kurumada.[7]
No Brasil, o lançamento da série em 1994 foi responsável por mudar a maneira que o público assistia animes, desencadeando uma "anime-mania". Em outros países latino-americanos (como por exemplo, no México e na Argentina) o sucesso também foi grande, apesar de a animação japonesa ter sido exibida eventualmente em ambos os países na década anterior, com programas como "Robotech" e "Mazinger Z". Em função do sucesso nos países de língua espanhola, a tradução brasileira do anime foi feita com base na dublagem em espanhol. Tanto o anime quanto o mangá foram lançados na ChinaHong Kong eTaiwan por volta de 1990, dando início à adoração da animação japonesa e do mangá nesses países.
A ideia de utilizar mitologia como pano de fundo serviu de inspiração para outros animes como, por exemplo, Samurai Warriors e Shurato.[8]
Pode afirmar-se que a série deu contribuições especiais no desenvolvimento da cultura japonesa de mangás e animes. É a mais importante e antiga origem para Doujinshi junto com Captain Tsubasa, que acabou crescendo numa subcultura periférica significativa de anime e mangá. Os grupos Doujinshi têm atualmente um grande número de membros no Leste AsiáticoAmérica do Sul e Oeste Europeu.
Mangakas famosos atualmente como o grupo CLAMPKubo Tite e Yun Kouga ja declararam terem sido muito influênciados pelas obras de Kurumada.
O mangá original vendeu mais de 25 milhões de cópias no Japão.[9] Em ranking publicado em 2006 pela TV AsahiOs Cavaleiros do Zodíaco está entre os cem melhores animes.[10]
Em 1987, a série foi eleita o melhor anime do ano[11] na famosa premiação Anime Grand Prix realizada pelas revistas japonesas Animage e Newtype.[12] No ano seguinte, Saint Seiya foi eleito o segundo melhor anime de 1988, sendo superado pelo filme Tonari no Totoro.[13]
No Canadá e Estados Unidos, a série não fez sucesso em sua primeira exibição. Somente em 2003, com o nome Knights of the Zodiac a série começou a ganhar fãs do continente norte-americano (mais específicamente nos estados de Quebec (Canada) e Wisconsin (EUA)). A empresa responsável pelo licenciamento foi a DIC Entertainment. A série sofreu muitos cortes e enormes alterações na trilha sonora e na história, o que decepcionou muitos fãs. A saída foi lançar DVDs (caixas) na íntegra (sem cortes e alterações). Alguns produtos começaram a ser lançados junto com o mercado japonês com isso é crescente o número de fãs que estão se formando nos EUA e no Canadá.

Temas recorrentes

  • Armaduras:
Na série, a maioria dos personagens são guerreiros que vestem diferentes tipos de armaduras. Cada uma delas foi desenhada e construída por ferreiros a serviço de um deus. Nenhum dos que fizeram as armaduras é revelado, apesar de Shion, Mu e Kiki serem descendentes do povo que forjou as armaduras deAtena, os habitantes do Continente de Mu, continente mitológico no Oceano Índico. Os deuses também possuem armaduras, chamadas de kamui(Literalmente armadura dos deuses).
A armadura de um cavaleiro tem uma vida, que, ao ser destruída, só pode ser revivida, e não restaurada de maneira qualquer. Somente os descendentes do povo que as forjou podem revivê-las. No caso das Armaduras de Atena, por exemplo, o cavaleiro deve sacrificar um terço do próprio sangue para ajudar na recuperação.
Apesar de cada tipo de armadura ter características diferentes, seus princípios de funcionamento são bastante similares: elas são muito mais resistentes do que o metal comum, e amplificam a cosmo-energia do usuário muitas vezes.
  • Cosmo:
Depois do Big Bang, uma força chamada de cosmo foi espalhada pelo universo. Os humanos que conseguem controlar essa força tornam-se extremamente fortes e conseguem despertar sentidos sobre-humanos.[14]
  • Reencarnação:
No começo da série é dito que a cada período médio de 250 anos, os deuses reencarnam na Terra. Durante a batalha das doze casas, Shaka conta para Ikki que é a reencarnação de Buda. Com o lançamento dos mangás The Lost Canvas e Next Dimension, revela-se que a maioria dos cavaleiros da era atual são na verdade reencanações dos cavaleiros da última guerra santa contra Hades.
  • Sentidos:
Do ponto de vista da biologia, os sentidos são as formas como os seres vivos reconhecem outros organismos e as características do meio ambiente em que se encontram. No ser humano são reconhecidos como sendo cinco sentidos: visãoaudiçãoolfatopaladar e tato; sendo suas respectivas funções: ver, ouvir, cheirar, saborear e sentir a "textura". A série expande o poder dos dois últimos sentidos dando ao paladar a função de fala e ao tato o controle sobre a coordenação motora.
Contudo, foram descritos na série mais quatro sentidos, sendo eles:[14]
6º Sentido: (Intuição) O sexto sentido faz os humanos poderem perceber e se comunicar com pessoas a grande distância. Com esse sentido um humano pode saber quando cada pessoa vai nascer ou morrer, ele também pode prever algo que irá acontecer.
7º Sentido: (Cosmo) Sétimo sentido é o domínio total do "Cosmo". Quando um cavaleiro consegue dominar este cosmo por completo, isto quer dizer que ele alcançou o máximo do sétimo sentido. Desde os tempos mitológicos, apenas os Cavaleiros de Ouro conseguiram dominar o máximo do sétimo sentido, sendo, assim, pessoas praticamente invencíveis. Mas, na verdade, se um Cavaleiro de Bronze ou Prata estiver muito determinado e encorajado, ele também poderá alcançar o sétimo sentido, mesmo sendo com muito mais dificuldade. O poder desse sentido é capaz de superar a perda dos outros seis.
8º Sentido: (Arayashiki) O oitavo sentido é a habilidade que permite aos Cavaleiros irem até o Meikai (Mundo dos Mortos) e voltarem sem morrer. Assim como o sétimo sentido, é necessário um bom estado de espírito para despertá-lo. Os Espectros de Hades não o possuem, apesar de irem e voltarem do Mundo dos Mortos facilmente graças à proteção que possuem por jurar lealdade a Hades.
9º Sentido: (Suprema Virtude) Apesar de apresentado no Hipermito, nunca foi descrito na série. O nono sentido seria a "Vontade Divina", um poder que permetia o universo desde o Big Bang. Aqueles que o alcançam, ganham o poder para se converterem em deuses.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir